segunda-feira, 11 de março de 2019

VALE VERDE: FIGUEIRA GIGANTE

Em direção a Santa Cruz do Sul (RS),
 antes do prédio das cucas Lisaruth,
uma entrada à esquerda, pela RS 244, 
a  tranquila Vale Verde, no Vale do Rio Pardo.
 A cidadezinha tem cerca de  3.200 moradores. 
E lindos casarios de pedras!
 Aproveite para conhecer a fazenda de búfalos 
de  Luis  Aguirre
 e o alambique do seu Germano Seibert, 
que mora numa casa de mais de 100 anos!


Não, não é essa. Eu não tive tempo. 
Em Vale Verde, uma pousada  aconchegante.
Descubra!
A cidadezinha emancipada em 1995, antes se chamava 
Rincão dos Mello - disse minha mãe.
Seguíamos pela rua principal, quando uma placa avisou...
"Vamos conferir!"

 Rodamos de carro, na verdade, 
uns 2 km até chegar ...
  na propriedade de Arceleu da Silva.
Quem nos recebeu e mostrou tudo, foi seu filho: 
Fabio Luís com uns fofinhos... 
filhotes de coelhos gigantes,
que nas mãos da Fátima, invocaram a Pascoa.
Sabia que coelho não pode comer alface?
Tudo pode, menos alface!!!
Fabio disse que para ver a figueira devíamos caminhar 1 km...
 Eu me recuperava de uma fascite plantar, 
de um gripão e desanimei.
Mas, um Fábio muito gentil 
me salvou com o seu microtrator Tobata.
     Prestem atenção para ouvir 
o ronco dos bugios, macacos-prego...
 Tentamos avistar,
em silêncio...
Passa mata, passa plantação...

Os próximos 200 m é preciso caminhar.
 Meu coração parecia um tambor...
 Pra que o facão, Fabio?
A gente nunca sabe... - respondeu.
 Um silêncio maravilhoso
quebrado pelos nosso pisar 
nas folhas e galhos no chão.


 Guaxinim, ouriço, tatu, 
cobra, jaguatirica....
Mas só vi urtigas!!
 E lindas teias de aranha!
 A mata virgem foi se fechando
e eu cada vez mais deslumbrada...
"Aqui a ponta do galho dela, 
que caiu no ultimo temporal."
Ao redor, outras arvores imensas,
protegidas do olhar ganancioso da humanidade.
 Sem palavras...
O galho caído é maior que muita arvore de pé...
Um choque.
Não tem foto que possa mostrar a grandeza.
Dez a treze homens para abraçá-la - calcula, Fabio.
Espia isso!
Até Fabio, tão acostumado...
Já vi castanheiras gigantes no Pará,
mas ver essa figueira nativa, gaúcha,
tão perto da "nossa casa"
me comove e engulo em seco.

 Majestosa...
Observo no tronco, um rosto
... que nos contempla do alto.
Se Deus existe... Ele se chama Natureza.
Então, é Deusa?
Cada gomo, uns 100 anos?
Na verdade, a figueira gigante 
parece milenar!

Grata, Fabio e Fátima!

Agende uma visita:
51 996298840