terça-feira, 14 de junho de 2011

CONVENTOS VERMELHO X ROCA SALES

Conventos vermelhos.... Dos anos 1881.
Assim se chamava Roca Sales.
Mais bonito, muito mais bonito. Onde será que foi parar esses conventos que pertenciam a Estrela? Dizem que esse nome foi dado pelos marinheiros que subiam e desciam o rio Taquari. À graça de que?

Leio no site da prefa -  http://www.rocasales-rs.com.br - que a  mudança do nome se originou por dois importantes fatos internacionais: a visita em 1899 do Presidente da Argentina, Júlio Roca, ao Brasil e depois a retribuição do compadre Campos Sales, então Presidente do Brasil, já no ano seguinte. Cada coisa que inventam. Vai ver que nem existia convento coisa nenhuma.


Em  dezembro de 1954, o governador Ernesto Dornelles  cortou o cordão umbilical que unia Roca a sua mãe estrelada e em fevereiro de 1955 se fez cidade e não mais distrito. E seu Irineo Danúncio Rota assumiu como primeiro prefeito. O atual é Antonio Valesan, do ptb, partido que tem a chave de 31 cidades no Rio Grande do Sul. Ahã. Eu sou do tempo que se pegava balsa e ia pular carnaval em Roca. Não sei quando, nos anos 80, cortaram o barato da balsa. Uma pena.


Hoje Roca Sales tem 10.287 habitantes, de acordo com o  censo do ano passado.
No site da prefa ta errado. É preciso corrigir.

Eu adoro bisbilhotar por lá.
Gosto dos casarios antigos...

...  e  outros com jeito de mal assombrados.

Quem mora em Roca é rocassalense.

Ainda tem uma estaçãozinha de trem. 

E tem o bistrô do João Manoel!


Graças a Zeus, que um dia descolei um convite para passear de trem com a Fabiana Caneppele e um monte de primeiras-damas.
Foi o roteiro mais bacana que já fiz na região, desde que me conheço por gente.

Fico besta como as prefeituras do Vale do Taquari não se uniram e por isso  não conseguiram botar para sempre o trem nos trilhos. Que baita Turismo.
Fico besta mesmo.
É muita falta de visão de alguns.
Muita mesmo.

Um comentário:

  1. Bernardo Mallmann21 de junho de 2011 11:35

    Concordo plenamente contigo. Diria mais: não explorar o turismo ferroviário na região é pura burrice. Tenho dito.

    ResponderExcluir